domingo, 17 de dezembro de 2017

Star Wars - Os Últimos Jedi

"Nesse verdadeiro espetáculo, difícil e complexo, surgiram pontos baixos sutis, mas o resultado conseguiu envergar!" (⭐⭐⭐⭐)

FOTOGRAFIA FEITA NO CINEMA MULTIPLEX ITATIBA MALL
EXIBIDOR PARA O MAIS CINEMA
CARTAZ GENTILMENTE CEDIDO

⭐Não se fala em outra coisa, tudo que foi texto acusou: "quem é Rian Johnson"?! Depois daquele filme arrebatador, com o qual cineasta J. J. Abrams retomou "Star Wars" e dilatou suas portas, o desafio do segundo filme seria desses incomparáveis do cinema. Coube ao cineasta Rian Johnson, de poucos filmes, que vinha de direções bem sucedidas, como em "Looper: Assassinos do Futuro" e na série "Breaking Bad", tomar em suas mãos essa "partitura" e regê-la à sua maneira. O resultado, a bem da verdade, é mesmo bem à sua maneira, com explicações demais, com uma linguiça marota tentando "ser enchida", mas (palmas para ele) não menos responsável por isso e amplamente espetacular. 

⭐E aqui vamos nós: corajosamente, o cineasta inicia seu filme, o qual também escreve, por outras pontas. Enquanto todo mundo esperava que surgisse em cena Rey e Kylo Ren, dando todo o tom da narrativa, depois daquele confronto atordoante, que encerrou o último filme e confronto que (obviamente) ali não teve uma conclusão derradeira, enquanto era essa uma expectativa, em "Os Últimos Jedi" o universo já está pegando fogo quando o filme começa. Mais do que isso, e esse é um grande trunfo desse filme (e trunfo dificílimo): tem dezenas de coisas acontecendo ao mesmo tempo. Então, que se pense na façanha assustadora que seria "meter a mão" num projeto que retomou um monumento do cinema e que fez isso, em J. J. Abrams, com a inteligência própria dos gênios do cinema. 

 ⭐Rey foi ao encontro de Luke Skywalker e encontrou um velho ranzinza; Poe Dameron (Oscar Isaac) se mete em tudo que é ataque, mas é advertido por Leia e bate de frente com a vice-almirante (Laura Dern, menos maravilhosa que sempre numa cor de peruca que não lhe caiu bem); Finn (John Boyega) encontra inesperadamente uma companheira para planos, a mecânica Rose (Kelly Marie Tran, em excelente atuação coadjuvante), com quem vai desativar um rastreador e também tentar ir ao encontro de Rey; paralelamente, a força está conectando Rey e Kylo Ren, gerando um "cabo de guerra" pra ver para que lado ambos podem pender; também Leia e Luke estão lá "chorando as pitangas" das consequências de suas impotências do passado; e, por fim, no clímax desse filme de duas horas e meia, sob um deserto branco/belíssimo, que ao pisar revela sua verdadeira cor, um vermelho-sangue, reina a grande nota dessa partitura: o confronto entre Kylo Ren e Luke Skywalker, e a "lição de moral" que se levanta dali.

⭐O que acontece nesse filme é o seguinte: primeiro que está explícita uma memória afetiva muito grande impressa pelo diretor Rian, tanto na reverência ao monumento que "Star Wars" é (e os fãs mais atentos perceberão dezenas de detalhes que não foram esquecidos), quanto numa certa magia (repare como é possível se lembrar de Luc Besson ou de "A História Sem Fim"). No entanto, fato é que a batuta de Rian Johnson não é como a de J. J. Abrams e está ausente o filtro do visionário, que (sem comparações) no filme anterior, assombrou mais em menos tempo. Para um filme de duas horas e meia, pelas deusas e deuses do cinema, o espetáculo foi alcançado e, em dados momentos, meus olhos se encheram de lágrimas, principalmente nas primeiras cenas de Carrie Fisher (a inesquecível Leia). Rey continua a dona da "p..." toda, John Boyega continua o dono da "p..." toda, mas, que fique claro a J. J. Abrams, que "eu não vou negar que sou louco por você, tô maluco pra te ver, eu não vou negar...". Ele volta a "Star Wars" no próximo filme, o Episódio IX. 

" STAR WARS - OS ÚLTIMOS JEDI " - Star Wars: Episódio VIII - The Last Jedi - Dir. por Rian Johnson - EUA - 2017 - Distribuidora no Brasil: Disney - Exibidor para o Mais Cinema: Multiplex Itatiba Mall 

Instagram Oficial: @daniel_serafim_mais_cinema
Perfil Oficial: facebook.com/dsmaiscinema - Daniel Serafim 


MAIS CINEMA! A GENTE SEMPRE QUER MAIS, DAQUILO QUE A GENTE AMA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário